Página Inicial

Siga-nos:

23.6.2018

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Artigos

OPINIÃO

Lula, o cabo eleitoral pé frio

A popularidade do ex-presidente Lula já era questionada por ele próprio

Ruy Fabiano 

09/06/2018

Jefferson Coppola/VEJA

clique para ver a foto em tamanho real

O ex-presidente Lula é carregado por apoiadores após realizar discurso no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP) - 07/04/2018.

O mito da popularidade de Lula, sustentado por pesquisas de encomenda, foi desfeito esta semana (para quem ainda tinha dúvidas), nas eleições suplementares para o governo do Tocantins.

 

A favorita, senadora Kátia Abreu (PDT), amargou um inesperado quarto lugar depois que um vídeo, posto nas redes sociais, na antevéspera do pleito, pela senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, anunciava o apoio de Lula à sua candidatura.

 

O mesmo fenômeno já havia ocorrido pelo menos duas vezes. Nas eleições municipais de 2016, Lula pediu votos para seu enteado, Marcos Cláudio, candidato a vereador em São Bernardo do Campo, cidade em que reside há quase meio século. Marcos não se elegeu.

 

Ano passado, em eleição suplementar para a prefeitura do município piauiense de Miguel Leão, Lula gravou um vídeo pedindo votos ao candidato, até então favorito, Jailson Souza, apoiado pelo governador petista Wellington Dias. Jailson foi derrotado.

 

A popularidade de Lula já era questionada por ele próprio, ao evitar comparecer a locais públicos e a viajar em aviões de carreira. Nas poucas tentativas que fez, viu-se hostilizado. Passou a viajar em jatinhos e a falar apenas a plateias de correligionários.

 

Em 2007, quando a propaganda petista o proclamava como o maior líder de massas da história do Brasil, ele foi vaiado na abertura dos jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro.

 

A intensidade das vaias foi tal que o fez desistir de abrir oficialmente os jogos e não mais compareceu a solenidades públicas. Nem à Copa do Mundo, ele, torcedor ardoroso, que se gabava de tê-la trazido ao Brasil, compareceu. Não foi a um único jogo.

 

A propaganda do PT quanto à popularidade de Lula, que convenceu a muitos, e converteu-se quase num apodítico, não convenceu, porém, a ele próprio, Lula. Tratava-se da fabricação de um mito, um ídolo de pés de barro.

 

Os sinais do engodo, porém, já podiam ser percebidos em dados objetivos: nenhum candidato petista, nem ele mesmo, jamais se elegeu no primeiro turno. Esse era o grande desconforto que ele nutria em relação a Fernando Henrique, que, embora jamais proclamado líder de massas – e de fato não o foi -, elegeu-se e reelegeu-se, contra Lula, no primeiro turno.

 

Outro momento em que o mito se despojou foi por ocasião da condenação judicial e consequente prisão. O PT proclamava que o país iria se convulsionar. O próprio presidente Temer, adversário aparente de Lula (e apenas aparente), se opunha a sua prisão, sob alegação de que provocaria uma revolta popular.

 

Gleisi Hoffmann advertiu que haveria inclusive mortes e que o partido levaria multidões inflamadas às ruas. Não aconteceu rigorosamente nada. A prisão de Lula teve como manifestação única um comício-pileque no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo.

 

Não obstante, o PT, sem alternativa, insiste em que Lula, nas palavras de Jacques Wagner, que o visitou na quinta-feira, na prisão, é “candidatíssimo” à Presidência da República, hipótese que só se consumaria com um golpe de Estado – algo tão fantasioso quanto à popularidade do líder encarcerado.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

09-06-2018 :: Lula, o cabo eleitoral pé frio

16-04-2018 :: Queda de Lula em pesquisa amplia drama do PT

03-02-2018 :: Do pedalinho ao viaduto

01-02-2018 :: O Brasil é réu confesso

28-01-2018 :: Kakay: A operação "lava jato" e o posto Ipiranga

18-01-2018 :: O desvario do PT

30-12-2017 :: A dignidade do bumbum

19-12-2017 :: Brincando de apartheid

03-12-2017 :: A Liga da Justiça a Jato

16-11-2017 :: A volta da DisneyLula

21-10-2017 :: Os catadores de lixo ideológico

11-10-2017 :: Os coxinhas LGBT

26-09-2017 :: Lava-Jato: um marco no enfrentamento da criminalidade do poder no Brasil

20-09-2017 :: Você é sócio do caixa três

22-08-2017 :: Summer Artificium 2017

[ Todas desta coluna ]

Governo do PI - Governo do Piaui Prefeitura Municipal de Picos - Prefeitura Municipal de Picos - Site Oficial marquês frios - marquês frios dr.bezerrinha - dr.bezerrinha Clínica Picoense  - Clínicas picoensw edilson constutora  - edilson constutora edilson madereira - edilson madereira Colégio Machado de Assis  - Machado de Assis

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.