Página Inicial

Siga-nos:

25.8.2019

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Brasil

APÓS DERROTA

No bunker do PT clima de velório e declarações de guerra

O resultado adverso já era esperado, mas a militância só começou a sentir o baque quando saiu à pesquisa de boca de urna

Eduardo Gonçalves/Veja.com  

29/10/2018

Foto: reprodução

clique para ver a foto em tamanho real

No discurso do derrotado Haddad o clime era de velório.

No bunker montado pelo PT em um hotel nos Jardins na Zona Sul de São Paulo, o clima foi do pranto à revolta com a eleição no segundo turno do candidato Jair Bolsonaro (PSL). O resultado adverso já era esperado, mas a militância só começou a sentir o baque quando saiu à pesquisa de boca de urna que mostrava o capitão do Exército com cerca de 10 milhões de votos a mais do que o professor petista, o que viria a se confirmar depois com a abertura das urnas.

 

Antes de sair o resultado oficial, o silêncio imperou na maior parte do tempo no saguão do hotel e só foi rompido quando o coordenador da campanha de Haddad, Paulo Okamotto, gritou um sonoro “Ganhamos”.

 

Alguns militantes saltaram da cadeira, mas a empolgação durou pouco. Ele se referia à eleição da senadora petista Fátima Bezerra ao governo do Rio Grande do Norte – a única vitória do PT neste segundo turno. A disputa nacional já estava decidida.  

 

O silêncio deu lugar ao choro, quando os telejornais começaram a mostrar a celebração de apoiadores de Bolsonaro nas praias do Rio de Janeiro. Do lado de fora do hotel, entrava o som de vuvuzelas, buzinaços e fogos de artifício que eram lançados a duas quadras dali, na Avenida Paulista.

 

Após o pranto, veio sentimento de revolta que foi vocalizado por dirigentes petistas. “Se ele declarar a guerra mesmo, nós vamos para a guerra. Nas ruas, no parlamento e nas trincheiras”, disse o senador Humberto Costa (PT-PE), reeleito neste ano.

 

O presidente do diretório estadual de São Paulo, Emídio Souza, foi na mesma linha: “Não estamos tratando de um presidente comum, ele chamou o país para a guerra e nós vamos para a guerra”.

 

O tom belicoso faz parte da estratégia petista para se firmar como protagonista na oposição ao governo Bolsonaro. O candidato derrotado do PT, Fernando Haddad, não telefonou ao presidente eleito e, em seu discurso, invocou frases do hino nacional para dizer que “um professor não foge à luta, nem teme quem adora a liberdade à própria morte”.

 

“Eu coloco a minha vida à disposição deste país. Tenho certeza que falo por milhões de pessoas que colocam o Brasil acima da própria vida, do próprio bem-estar”, completou. A militância atendeu ao apelo, chamando-o de “guerreiro” e entoando gritos de “a luta começou”.

 

Uma reunião da direção do PT foi marcada para esta terça-feira em São Paulo para debater uma agenda de ações contra Bolsonaro ainda neste ano. Antes, os dirigentes devem consultar o seu líder máximo, o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá. Emídio irá já nesta segunda-feira. Haddad, na terça ou na quarta-feira.

 

O único que já anunciou atos concretos contra Bolsonaro foi o coordenador do MTST e candidato do PSOL, Guilherme Boulos, que saiu do hotel divulgando manifestações pelo país a partir desta semana. “Bolsonaro foi eleito presidente e não a ditador. Vamos lembra-lo disso”, afirmou.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

22-08-2019 :: Sem o SUS, é a barbárie

21-08-2019 :: Adapi inicia pagamento de indenizações por rebanhos afetados pela peste suína

21-08-2019 :: Jair Bolsonaro nomeia piauiense como reitor da Universidade Federal do Ceará

21-08-2019 :: Wellington Dias quer empréstimo de R$ 1,7 bilhões para cobrir despesas do Estado

08-08-2019 :: Maia diz estar à disposição para que direitos de Lula sejam garantidos

02-08-2019 :: Campanha de incentivo à amamentação começa hoje em todo o país

31-07-2019 :: Investimentos de R$ 184 milhões geram melhorias na vida de agricultores piauienses

29-07-2019 :: Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para agosto

26-07-2019 :: Abono do PIS/Pasep começa a ser pago

24-07-2019 :: Diz Moro após cancelamento de status a refugiados

19-07-2019 :: 200 dias do Governo Bolsonaro

18-07-2019 :: Instagram começa testes para ocultar número de curtidas no Brasil

12-07-2019 :: Água potável perdida diariamente equivale a 7 mil piscinas olímpicas, aponta estudo

10-07-2019 :: Jornalista Paulo Henrique Amorim

04-07-2019 :: Câmara aprova texto da reforma da Previdência

[ Todas desta coluna ]

disnomed - disnomed procords - procordis marquês frios - marquês frios uniaselvi - uniaselvi lamep - lamep Gutenberg - gutenberg otica kika - otica kika Alencauto - alencauto

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.