Página Inicial

Siga-nos:

20.2.2019

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Brasil

PROPINA DA JBS

PGR pede que ação contra Marcelo Castro e Ciro Nogueira fique no Supremo

Os casos deveriam ser enviados à primeira instância a partir de fevereiro de 2019, porque não teriam mais relação com o mandato em vigência

Lucas Sousa  

01/12/2018

Foto: reprodução

clique para ver a foto em tamanho real

Marcelo Castro (MDB) e Ciro Nogueira (PP) são acusados de receberem propina da JBS.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu para que a investigação aberta com base nas delações do grupo J&F contra o futuro chefe da Casa Civil, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), e outros nove parlamentares, entre eles, o deputado federal e senador eleito do Piauí, Marcelo Castro (MDB),e o senador Ciro Nogueira (PP) permaneçam no Supremo Tribunal Federal (STF). 

 

De acordo com o entendimento atual do Supremo, quanto à prorrogativa de foro, os casos deveriam ser enviados à primeira instância a partir de fevereiro de 2019, porque não teriam mais relação com o mandato em vigência. 

 

Na manifestação enviada ao STF, Dodge defende que as investigações abertas contra essas dez autoridades devem permanecer na Corte e requereu a abertura de "petições autônomas" para a continuidade dos casos. O procedimento é considerado a fase preliminar de um inquérito, quando o parlamentar passa a ser formalmente investigado.

 

Além de Onyx, o pedido é direcionado aos casos envolvendo os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Renan Calheiros (MDB-AL), Wellington Fagundes (PR-MT) e Eduardo Braga (MDB-AM), além dos deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Alceu Moreira (MDB-RS), Jerônimo Goergen (PP-RS), Zé Silva (SD-MG) e Marcelo Castro (MDB-PI). 

 

Na mesma petição, a PGR também defende que os casos ligados à J&F de políticos não reeleitos e que perderão o foro com o fim da atual legislatura devem ser enviados a instâncias judiciais inferiores. Procurada, a assessoria do futuro ministro da Casa Civil ainda não se manifestou.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

16-02-2019 :: Proposta classifica nepotismo como improbidade administrativa

13-02-2019 :: Atriz e cantora Bibi Ferreira morre aos 96 anos

13-02-2019 :: Casal Ciro e Iracema já recebeu R$ 555 mil de auxílio-moradia

11-02-2019 :: Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

06-02-2019 :: Juíza condena Lula a 12 anos e 11 meses de prisão

06-02-2019 :: CNJ afasta juiz acusado de assédio sexual

13-01-2019 :: Terrorista Cesare Battisti é preso na Bolívia

10-01-2019 :: Rodrigo Maia descarta apoio do PT para reeleição à Câmara

09-01-2019 :: Toffoli mantém voto secreto na eleição para presidência da Câmara

01-01-2019 :: Jair Bolsonaro diz que vai tirar o país do socialismo

24-12-2018 :: Interrupção no fornecimento de internet é motivo para desconto na conta

23-12-2018 :: Câmara dos Deputados gastará R$ 19,5 milhões com novos cargos

21-12-2018 :: STF determina voto aberto para presidência do Senado

21-12-2018 :: Rodrigo Maia assina lei que permite municípios estourar gastos com pessoal

06-12-2018 :: Palocci afirma que Lula prorrogou MP em troca de dinheiro para filho

[ Todas desta coluna ]

Prefeitura Municipal de Picos - Prefeitura Municipal de Picos - Site Oficial marquês frios - marquês frios facim 01 oficial  - facim 01 oficial Colégio Machado de Assis  - Machado de Assis Clínica Picoense  - Clínicas picoensw edilson madereira - edilson madereira lamep - lamep aaaa chaguinha - aaaa chaguinha edilson constutora  - edilson constutora

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.