Página Inicial

Siga-nos:

19.2.2018

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Brasil

COM FOLGA

Senado aprova texto-base da reforma trabalhista

Aprovada com folga matéria segue agora para a sanção do presidente da República, Michel Temer (PMDB)

Agência Senado  

11/07/2017

Foto: reprodução

clique para ver a foto em tamanho real

Senadores aprovam reforma trabalhista.

Com 50 votos favoráveis, 26 contrários e uma abstenção, o Senado aprovou na noite desta terça-feira (11) o Projeto de Lei da Câmara 38/2017, da reforma trabalhista. A matéria segue agora para a sanção do presidente da República, Michel Temer.

 

A votação ocorreu depois de, por quase sete horas, senadoras de oposição terem ocupado a Mesa do Plenário e, com isso, impedido o início dos trabalhos. Durante toda à tarde, parlamentares negociaram a retomada da votação, mas não houve acordo e a sessão foi reaberta pelo presidente do Sendo, Eunício Oliveira, pouco depois das 18h30, mesmo com as senadoras ainda na Mesa.

 

Durante o encaminhamento da votação, parlamentares de oposição voltaram a criticar a reforma. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) alertou para a possibilidade de trabalhadores serem substituídos por pessoas jurídicas. Ela afirmou que a medida provoca a perda de direitos. Já o senador Benedito de Lira (PP-AL) defendeu a proposta, argumentando que os direitos assegurados na Constituição não podem ser alterados por um projeto de lei — logo não seriam atingidos com a reforma.

 

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) atacou duramente o governo Temer, que a seu ver não tem qualquer legitimidade para propor uma reforma trabalhista, enquanto o senador Magno Malta (PR-ES) dirigiu suas críticas aos governos Lula e Dilma e ao PT.

 

Para assegurar a aprovação do texto, que altera pontos importantes da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o líder do Governo e relator da reforma trabalhista no Plenário, senador Romero Jucá (PMDB-RR), voltou a afirmar que o Palácio do Planalto deve promover ajustes no PLC 38/2017, seja por veto ou medida provisória. Para ele, o texto vai promover a geração de empregos.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

15-02-2018 :: Horário de verão termina no próximo domingo

11-02-2018 :: Com auxílio Juízes deixam de pagar R$ 360 milhões de imposto

10-02-2018 :: Fachin nega pedido de Lula para evitar prisão

07-02-2018 :: Abaixo-assinado pede fim do auxílio-moradia para juízes

02-02-2018 :: Moro recebe auxílio-moradia mesmo tendo imóvel em Curitiba

29-01-2018 :: Lula enfrentará nova sentença de Sergio Moro em março

24-01-2018 :: TRF-4 condena Lula e aumenta pena para 12 anos

20-01-2018 :: STJ autoriza posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho

15-01-2018 :: Presidente do PT confunde cartaz de torcida com apoio a Lula

11-01-2018 :: Janot é intimado a depor na PF sobre gravações de delatores da J&F

09-01-2018 :: Bolsonaro recebe auxílio-moradia mesmo tendo apartamento em Brasília

07-01-2018 :: Patrimônio de Bolsonaro e filhos cresce R$15 milhões na política

04-01-2018 :: Lava-Jato investiga patrocínio para filme sobre vida de Lula

01-01-2018 :: Salário mínimo de R$ 954 entra em vigor

01-01-2018 :: Calendário eleitoral começa a valer a partir dessa segunda

[ Todas desta coluna ]

gau jardele - gau jardele edilson madereira - edilson madereira Governo do PI - Governo do Piaui marquês frios - marquês frios dr.bezerrinha - dr.bezerrinha Prefeitura Municipal de Picos - Prefeitura Municipal de Picos - Site Oficial edilson constutora  - edilson constutora

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.