Página Inicial

Siga-nos:

17.11.2019

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Brasil

PROPOSTA INDECENTE

Ministra cita escravidão e pede salário de R$ 61 mil ao governo

Luislinda reclamava que, por causa do teto constitucional, só pode ficar com 33.700 reais do total da renda

Estadão  

03/11/2017

Foto: reprodução

clique para ver a foto em tamanho real

Ministra quer ganhar 61 mil reais por mês.

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, apresentou ao governo um pedido para acumular seu salário com o de desembargadora aposentada, o que garantiria a ela um rendimento bruto de 61.400 reais. 

 

Segundo informações da coluna de Andreza Matais, do jornal Estado de S. Paulo, da manhã da última quinta-feira (2), Luislinda reclamava que, por causa do teto constitucional, só pode ficar com 33.700 reais do total da renda.

 

“Sem sombra de dúvidas, se assemelha ao trabalho escravo, o que também é rejeitado, peremptoriamente, pela legislação brasileira desde os idos de 1888 com a Lei da Abolição da Escravatura”, disse a ministra. 

 

Em 207 páginas, ela contesta a regra do abate-teto, pela qual nenhum servidor pode ganhar mais do que um ministro do Supremo. Por isso, seu salário de ministra é abatido em mais de 27.000 reais, caindo para pouco mais de 3.000 reais. O salário de desembargadora, de 30.471,10 reais, é preservado.

 

Roupas e Maquiagens

 

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, conversou com a Coluna do Estadão sobre o requerimento que protocolou no governo no qual compara sua situação com a de um trabalhador escravo por ter parte do salário glosado pela lei do abate teto. 

 

A ministra diz que é seu direito receber o valor integral para trabalhar como ministra porque o cargo lhe impõe custos como se “vestir com dignidade” e “usar maquiagem”. Ela não se arrepende de ter comparado seu caso ao trabalho escravo. “Todo mundo sabe que quem trabalha sem receber é escravo”, diz.

 

Desistência

 

Em meio à polêmica sobre seu pedido para receber salário acima do teto, a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois desistiu do pleito. Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, ela afirma que já encaminhou ao governo comunicado de que desistiu de acumular salário de ministra com aposentadoria de desembargadora aposentada da Bahia.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

14-11-2019 :: Senado aprova aumento do saque somente para quem tinha até R$ 998 na conta

14-11-2019 :: Explosão em indústria deixa um morto e dois feridos com queimaduras

06-11-2019 :: Câncer de próstata tem chance de 90% de cura se diagnosticado no início

30-10-2019 :: Após visita de Bolsonaro Arábia Saudita anuncia investimento de até US$ 10 bilhões no Brasil

01-10-2019 :: Sobe para seis o número de praias no Piauí atingidas por manchas de óleo

30-09-2019 :: Grávida quebra fêmur em colisão entre moto e carro

26-09-2019 :: Assembleia Legislativa homenageia o Crea-PI pelos seus 44 anos

26-09-2019 :: Assembleia Legislativa homenageia o Crea-PI pelos seus 44 anos

26-09-2019 :: Empresa descobre indícios de petróleo na Bacia do rio Parnaíba

03-09-2019 :: Girassol é símbolo de campanha para alertar sobre depressão

22-08-2019 :: Sem o SUS, é a barbárie

21-08-2019 :: Adapi inicia pagamento de indenizações por rebanhos afetados pela peste suína

21-08-2019 :: Jair Bolsonaro nomeia piauiense como reitor da Universidade Federal do Ceará

21-08-2019 :: Wellington Dias quer empréstimo de R$ 1,7 bilhões para cobrir despesas do Estado

08-08-2019 :: Maia diz estar à disposição para que direitos de Lula sejam garantidos

[ Todas desta coluna ]

marques frios - marques frios dario - dario otica kika - otica kika uniaselvi - uniaselvi procords - procordis Gutenberg - gutenberg Alencauto - alencauto lamep - lamep clinica popular - clinica popular disnomed - disnomed

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.