Página Inicial

Siga-nos:

20.10.2019

Opinião

"Uma cidade que gera um jogador fantástico como o GRANDE LEONARDO só pode ser uma cidade muito especial! OBRIGADO POR TUDO, PICOS! PERNAMBUCO JAMAIS ESQUECERÁ O FILHO DE VOCÊS! LEONARDO MARCOU ÉPOCA NO BRASIL INTEIRO! "


De: Sergio Silva em Recife, 04/03/2016 11:30:14h

[ Veja mais ]

Você está lendo a coluna: Educação

REAJUSTE

Piso salarial dos professores da rede pública será de R$ 2.455

Segundo o Ministro da Educação, Mendonça Filho, o aumento acontece a partir de janeiro de 2018

Agência Brasil  

30/12/2017

Foto: reprodução

clique para ver a foto em tamanho real

Piso Nacional dos Professores terá reajuste de 6,81%.

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quinta-feira, 28, o valor de R$ 2.455,35 como piso salarial dos professores públicos, em âmbito nacional, a partir de janeiro de 2018. O reajuste foi de 6,81% e ficou acima do índice da inflação, previsto para 2017 em 2,8% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O salário anterior, vigente em 2017, era de R$ 2.298,80.

 

O ministro Mendonça Filho (DEM) assinou a portaria que deve ser publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (29). Ele se reuniu na semana passada com representantes dos sindicatos de professores e dos secretários da Educação. De acordo com o MEC, o reajuste do piso ficou acima da inflação pelo segundo ano consecutivo.

 

O piso nacional do magistério vale para os profissionais de educação básica em início de carreira, com formação de nível médio, contratados para jornada de 40 horas semanais e é atualizado anualmente, sempre em janeiro, conforme determina a lei.

 

Apesar do patamar mínimo, as redes de ensino de Estados e municípios enfrentam dificuldades financeiras para pagar o salário estabelecido pelo MEC. Conforme pesquisa divulgada no ano passado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), metade dos Estados conseguia atingir o piso nacional.

 

O ministro disse, em gravação divulgada pelo MEC, que o piso nacional "motiva" e "valoriza" os professores. Mendonça Filho cobrou que os municípios e Estados sigam a legislação. Ele ressaltou "a necessidade de que as prefeituras e os governos estaduais respeitem o piso nacional dos professores, que tem crescido nos últimos anos, e deve assegurar o mínimo de dignidade a todos os professores do País".

 

O MEC informou que o critério de reajuste tem como base o crescimento do valor mínimo anual por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) de 2016 em relação a 2015.

 

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, protestou contra o reajuste. "É estranho, para não dizer surreal. O governo, no mesmo período em que edita uma emenda constitucional (do teto) que por 20 anos só permite aumentar seus gastos na inflação, que é 2,8% neste ano, dá um aumento de 6,81%. É uma lógica perversa para a federação brasileira. Quem produziu esse caos fiscal foi a União e a maioria do Congresso, não as prefeituras."

 

A CNM deve divulgar nesta sexta-feira um estudo com impacto do aumento no piso dos docentes nas contas municipais. Ziulkoski diz que 24% da folha do funcionalismo das prefeituras é gasta com magistério, o que representa cerca de R$ 68 bilhões. Por isso, o impacto nas contas dos municípios deve ficar em R$ 4,5 bilhões a mais a partir de janeiro só com salários, podendo chegar a R$ 7 bilhões, quando adicionados os encargos.

 

Segundo o presidente da CNM, o Fundeb, que financia os salários, aumentou 93% desde 2009, enquanto o piso salarial subiu 158%. Isso faz com que os municípios gastem atualmente quase 80% do que recebem do Fundeb com os salários. "Isso liquidou com a qualidade da educação", disse Ziulkoski.

.:: ComentarCorrigirEnviar por e-mailImprimir ::.

Comentários desta matéria:

Não há comentários para a matéria no momento.

Outras desta mesma coluna:

03-09-2019 :: MP da carteira estudantil digital será assinada nesta semana

23-07-2019 :: Governador quer tirar 200 mil da faixa de analfabetismo até 2020 no Piauí

31-05-2019 :: IFPI lança concurso público para técnicos-administrativos

13-05-2019 :: 164 concursos abrem 18 mil vagas com salários até R$ 24 mil no país

07-05-2019 :: Com corte de R$ 33 milhões, reitor diz que UFPI pode deixar de funcionar até o final do ano

25-04-2019 :: Estão abertas para o 5º Fórum de Jornalismo em Picos

01-04-2019 :: Bolsa Família: MEC inicia fiscalização da frequência escolar nesta segunda (1º)

29-03-2019 :: Bolsonaro estabelece que professores aposentem bem antes que outras profissões

26-03-2019 :: Saiba como solicitar a isenção da taxa de inscrição de R$ 85 do Enem

16-03-2019 :: Sindicato denuncia falta de merenda escolar em cidade do Piauí

15-03-2019 :: Alunos do curso de Medicina UFPI apresenta o Projeto

25-01-2019 :: Deputado Severo Eulálio destina R$ 200 mil em emendas para Uespi

22-11-2018 :: Jornalista da Globo Francisco José dará palestra no SaliVag

04-10-2018 :: Campus da UFPI EM Picos recebe Projeto Reitoria Itinerante

21-08-2018 :: Justiça determina fim da greve dos professores

[ Todas desta coluna ]

Alencauto - alencauto dario - dario uniaselvi - uniaselvi otica kika - otica kika disnomed - disnomed Gutenberg - gutenberg marques frios - marques frios lamep - lamep procords - procordis

© 2009 - Jornal de Picos - Todos os direitos reservados - E-mail: contato@jornaldepicos.com.br

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.